Diário, pensamentos e versos de uma sonhadora!

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Boderline

Vi um vídeo muito interessante falando das 9 características básicas do Transtorno de Personalidade Boderline (ou Limítrofe). Desde quando eu recebi esse diagnóstico foi difícil achar coisas que realmente me faziam entender a minha patologia psíquica, eu nunca tinha sequer ouvido falar disso e meu médico de advertiu: Cuidado que tem muita coisa extrema aí. 

Boderline é uma doença pouco conhecida que foi verificada entre um limite entre a esquizofrenia e a depressão, colocado assim qualquer um diria, essa pessoa tem que se internar, não tem equilíbrio pra vida e, durante muito tempo, o paciente de TPB foi tratado junto com loucos frenéticos que precisavam de reclusão. Porém foi compreendido, com o tempo e estudos, que o paciente que possui essa patologia na verdade vive no limite (limítrofe) ou na fronteira (borderline) da normalidade. Ele (o paciente) possui talvez todas as inconstâncias, medos, defeitos, incertezas, etc que todo mundo passa ou já passou, mas de uma maneira muito intensa de forma destrutiva pra ele mesmo (o borderline não faz mal a ninguém, não é um psicopata).

Então, nesse vídeo vi que dentre tantas características evidentes que permitem o diagnóstico desta doença, podem haver até 256 combinações. Ou seja, nem todo paciente de TPB sofre do mesmo jeito tudo, como uma receita de bolo bem medida e calculada. Dentre essas características principais, ao menos 5 devem ser verificadas e algumas podem ter sido presentes por muito tempo. 

Eis a lista:

1. Esforços frenéticos para evitar abandono. (Já li também "o oposto": o abandono repentino de uma relação interpessoal saudável por medo de ser abandonado. Ou seja, "abandonar antes que me abandonem").
2. Um padrão instável de relacionamentos interpessoais (Nunca se sentir valorizado, ou recompensado ou admirado).
3. Senso de si ou imagem de si instáveis.
4. Áreas de impulsividade que são potencialmente autodestrutivas (sem contar o item 5).
5. Comportamento suicida recorrente ou autolesão.
6. Efetiva instabilidade emocional  ocasionando reações de alteração de humor.
7. Sentimentos crônicos de vazio.
8. Raiva inapropriada ou dificuldade de controlar a raiva.
9. Ideação paranoide relacionada ao estresse ou a graves sintomas dissociativos.


obs: Não sou profissional e estou apenas começando com esse novo tratamento. Apenas unindo informações que me ajudaram. Quem sabe você precise também se ajudar. Cuide-se!

domingo, 29 de abril de 2018

Guia

Eu posso até perder o muito
Esse tanto que pra mim é nada
É um vazio dentro de muitos vazios
É a incerteza do meu eu

Prefiro até a inconstância
O medo
A solidão 
Esse temor que me assombra

De me restar na solitude 
Que ela me reste
Mas não me defina 
Eu sou quem sou e nada além disso

Sei que é louco, ousado, exagero
Insano, sandices, extremos
Qual palavra escutarei dessa vez? 
Eu a prefiro
Eu a desejo

Um dia entenderão essa grandeza 
A minha simplicidade de ser minha
De ser meu abrigo, minha guarita
Meu lugar seguro, 
meu medo e meu tudo

Eu sou o que sou.
Nas dores e nas alegrias
Nas incertezas: emoção e razão.
Eu. Incompleta(?) 
Norte!

Sarah Cavalcante (28/04/2018) 

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Coisas de quem vive

Uma brisa leve levanta a alma
Na velocidade do vôo de um beija-flor
Ela me faz lembrar de coisas
Que quem olha nunca imaginou
Quem sonha até suspeita
Mas só quem vive é que sente
Sente em câmera lenta
Mesmo que o coração acelere
Mesmo que o pulsar arrepie
Só quem vive é que sente
Só quem sente silencia
Só quem tem alma, eleva!

Há coisas que perdem o sentido
Quando se tenta nominar
Os poros certificam o que busco encontrar
Pois só quem vive pode lembrar
Com sorriso no rosto
Com rugas nos olhos
E fios brancos de realizar
Coisas de quem vive!
Só quem vive pra comprovar

Sarah Cavalcante (23 abril 2018) 

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Estrela do Norte.

Quando a distância se fez presente
Mais que nunca me vi ardente
De sonhos e de choro.
Nesse amargor saudade,
Entre quilômetros de desamparo  
As asas traçam rotas de corações imutáveis
Que nunca, por sequer um instante, 
Se fizeram separar.

Por esse imenso oceano da vida
Momentos de vazio e a certeza
Nada substitui, pausa ou faz parar
Nossas almas conectadas pela irmandade
<<Sublime palavra>>
Que nos faz norte, sentido, base, sorte e lugar!

Sarah Cavalcante (02/jan/2018)

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Despedida

Olho para você, amor
O nosso passado já não tem valor
Foram lágrimas de engano
Que nos fizeram navegar
E ao chegar em terra firme
Às lembranças se entregar
Só tenho esse passado, amor
Como um peso na bagagem
Levo por toda vida
Como mistério de uma verdade
Que só de pranto eu vivi, amor
Em todas essas fotos posso ver
Momentos congelados em segundos
Ao nosso albúm - inteiro - eu digo:
Adeus!
[by: Sarah Cavalcante - 13/10/09]

Vazio

Triste foi seguir o caminho
Eu não percebi os sinais
Dentro de mim o vazio
De quem perdeu o que foi
De quem não sabe para onde vai

Eu fui caminhando e deixando
Sem saber recuperar
Eu fui perdendo a beleza da vida
Eu fingi por tempo demais
Agora, quem me ensinará
a voltar atrás?
Orgulho da morte envaidecida
É a loucura de quem perdeu a paz
Sozinho, ando pela trilha
De quem não sabe o que faz
Frígido, morri em vida
Pelo tédio, sem justiça ou remédio
Sem amor, sem amar

[Sarah Cavalcante Barbosa - 13/abril10]

Morta

Temo
Não posso negar
Mas os meus ouvidos já não ouvem
E meu coração já não pode amar

Sem força para seguir
Já não luto pela alegria que tive
Penso, às vezes, que foi tudo ilusão
Mas me escondo no meu largo sorriso
Cercada de muitos amigos - irmãos

Ninguém imagina o meu segredo
Ninguém imagina que em mim a vida se foi
Morta, ando a toa pela vida
Caminhos se abrem, mas sei o que em mim jaz.

(Sarah Cavalcante - 18/abril/2010)